Prêmio é reconhecimento à pesquisa de alto nível no Brasil, diz Artur Avila


Prêmio é reconhecimento à pesquisa de alto nível no Brasil, diz Artur Avila

Imagens da praia de Ipanema surgiram no telão da cerimônia de abertura do Congresso Internacional de Matemáticos (CIM), na manhã desta quarta em Seul (noite de terça pelo horário de Brasília).

Era o anúncio do nome do carioca Artur Avila, 35, como um dos quatro agraciados com a Medalha Fields, conhecida popularmente como o "Nobel da Matemática". No vídeo, ele conta que ficou surpreso com a notícia de que havia sido escolhido quando recebeu o telefonema da presidente da União Internacional de Matemática (UIM), Ingrid Daubechies. Avila é o primeiro matemático latino-americano a receber a distinção, que existe desde 1936.

"Não estava preparado para receber desta vez, pensava que se eu tivesse uma oportunidade seria em 2018", disse Avila à Folha, logo após ganhar a medalha.

O matemático espera que o prêmio dê visibilidade à pesquisa científica no Brasil. "A pesquisa brasileira de alto nível já existe há algum tempo. Talvez não seja de conhecimento do público em geral, mas este prêmio é um reconhecimento a isso", disse Avila. Apesar disso, ele sabe que sua área de pesquisa é algo distante da compreensão de quem não é especialista.

"Eu sou uma pessoa que faz matemática porque gosta, não sou ligado às aplicações. Respeito muito quem faz e creio que podem coexistir os matemáticos que fazem por interesse em matemática pura e aqueles que fazem de olho nas aplicações", afirmou.

No vídeo exibido durante a cerimônia, Avila disse ser "uma honra para o Brasil e para a França", a distinção que recebeu. "Principalmente para o Brasil, que nunca havia recebido o prêmio".

Avila é pesquisador do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS), órgão do governo francês.

Em inglês, Avila contou no vídeo um pouco da sua história e seu trabalho, enquanto aparece em momentos de sua rotina, destrinchando um problema num quadro negro do Impa, caminhando na praia e saboreando uma tigela de açaí.

Durante a abertura também foi anunciado oficialmente que o Rio de Janeiro sediará o próximo Congresso Internacional de Matemáticos, em 2018. Será a primeira vez que o evento ocorre no hemisfério sul.

Outros quatro pesquisadores receberam a Medalha Fields: o indiano Manjul Bhargava, o britânico Martin Hairer e a iraniana Maryam Mirzakhani, a primeira mulher a receber o prêmio.

As medalhas foram entregues em um auditório gigantesco de Seul pela presidente da Coréia do Sul, Park Geun-hye. Ela destacou a importância da matemática como "uma linguagem universal", que está "no centro do desenvolvimento da ciência avançada".

FONTE:Uol
Curta o Emprego-youcan no Facebook Facebook Emprego You Can