No ambiente corporativo somos quem realmente somos? Trabalhamos por prazer ou por necessidade?


No ambiente corporativo somos quem realmente somos? Trabalhamos por prazer ou por necessidade?

Certo dia perguntei a alguns amigos próximos de forma aleatória sobre o que fariam se num instante soubessem que estavam ricos. E a resposta imediata da maioria foi que largariam o atual emprego. 

Daí eu me questiono. Se nas entrevistas para emprego, todos falam de forma apaixonante sobre comprometimento, pontualidade, perfeccionismo, vontade de crescer no grupo entre outros argumentos que pessoas da área de RH devem estar bem mais familiarizados. Porque então largar o trabalho que somos comprometidos é primeira atitude? 

Creio ser um dos principais desafios para os profissionais de recrutamento e seleção. Lutam para extrair o melhor que podem de um candidato que na realidade pode não estar com o desejo de comprometer-se, mas apenas de ter uma renda.

Desta forma. Somos nós mesmos no ambiente corporativo?

Wellington Correia de Souza

Wellington Correia de SouzaAnalista Financeiro da empresa TECON SUAPE S.A.Principal contribuidor

 

Resposta:

Gerente, Consultor de TI, Service Desk, Pós-Vendas

Wellington, Bom dia. 

Creio que poucos responderão a esta sua discussão, seja por medo ou receio de ser expor. Porque, o "politicamente correto" é deixarmos transparecer no ambiente de trabalho que estamos de forma "apaixonante comprometidos, pontuais, buscando a perfeição e vontade de crescer no grupo entre outros argumentos que pessoas da área de RH devem estar bem mais familiarizadas".... 

Acho que o "politicamente correto e VERDADEIRO" seria todos nós mostrarmos que somos HUMANOS! E como tal, buscamos o melhor para nós e para nossa família. E também, claro essa postura ser aceita pelos RHs, pelos nossos chefes, superiores e todo o ambiente de trabalho em geral. 

Veja ai uma ponta de "absurdo", termos que esconder aspirações e anseios tão normais, tão comuns as pessoas, tão HUMANOS! E nos disfarçarmos de Super-Homens, Mulheres Maravilhas, tão certinhos e comprometidos como o Batman ou um bom moço como o Mickey Mouse... É, parece eu o REAL virou a ficção, REAL, ACEITAVEL, POSTURA CORRETA, tornou-se a FICÇÃO. 

CLARO que TODOS DEVEMOS SER COMPROMETIDOS, COMPETENTES, BUSCAR A PERFEIÇÃO E OS MELHORES RESULTADOS em tudo que fazemos, sermos profissionais responsáveis [permita-me ser redundante], cumpridores de nossas funções, atividades, projetos, etc. Tudo isso com o maior empenho, qualidade e buscando os melhores resultados possíveis. Nesse aspecto ainda digo mais: buscando toda essa excelência não só de forma a trazer resultados para nossa área, mas aos processos e objetivos, metas da empresa como um todo. Tudo isso faz parte dos resultados e postura de um profissional ativo, experiente, maduro e responsável e todos os profissionais devem buscar esse tipo de postura.... 

MAS.... volto ao que eu estava comentando acima, sem com isso perdermos o fator humano, sem deixarmos de ser verdadeiros, sem máscaras... afinal é da nossa natureza, vamos lutar pelo que é melhor para nós e para nossa família.... ISSO NÃO SOA DE FORMA TÃO NORMAL E EQUILIBRADA!? 

Acho que a melhor resposta, que as empresas e os RHs em geral deveriam avaliar como a mais madura e sensata dos profissionais quando indagados sobre seus planos enquanto trabalhando seria: "Enquanto estiver nessa empresa, podem contar comigo, com meu comprometimento, minha lealdade, minha honestidade e com meus bons resultados e julgo ser minha obrigação profissional e fazer parte dos meus valores pessoais dar retorno a esta que me emprega e que está me remunerando por isso. Nunca deixarei algum trabalho sem ser finalizado ou muito bem documentado e encaminhado de forma que em minha falta possa ser dado sequencia sem nenhum impacto negativo para a empresa. Nesses termos, trabalharei enquanto a empresa atender meus objetivos profissionais e pessoais. Quando não mais atender, serei maduro e honesto o bastante para comunicar minha saída fazendo essa transição nos moldes que citei acima!" 

PRONTO... não é muito melhor assim? Não trabalhamos com máscaras, nem personagens... afinal, não somos atores, nem cineastas e muito menos Walter Disney... Se tentarmos "desempenhar um papel", seremos uns terríveis charlatões que quando perguntados o que faríamos se ficássemos "ricos" diríamos que largaríamos tudo, contradizendo nossa atuação na entrevista... GONGADOS, CAIRIA A MÁSCARA, ESCORREGARÍAMOS NO PALCO, E OLHA AS CORTINAS SE FECHANDO EM CIMA DA GENTE E A VAIA DA PLATÉIA.... 

Como não tenho vocação pra ator, prefiro ser mesmo um bom profissional. 

Marcelo Lourenço da Cunha

FONTE:Linkedin Vagas.com.br
Curta o Emprego-youcan no Facebook Facebook Emprego You Can