Criatividade no mercado de trabalho


Criatividade no mercado de trabalho

Ser um profissional liberal e criativo. Esse é o teor da maioria dos livros do autor Fábio Zugman, isso porque para ele, qualquer um pode desenvolver a habilidade de ser criativo e de ser empreendedor, basta que haja oportunidade e treinamento. Zugman contou para a Ticket e Gestão o que o motiva e o que espera para os próximos profissionais liberais e criativos. 

O que te motiva a escrever sobre profissionais liberais e criatividade? 
São dois temas poucos explorados. Primeiro, a criatividade é algo em falta no mercado de trabalho e muitas coisas estão se automatizando, logo ela é indispensável nos dias de hoje. O problema é que dentro das faculdades e cursos esquecem de ensinar às pessoas a terem uma ideia inovadora, com a possibilidade de implementar essas ideias. 
E é a mesma coisa com profissionais liberais. Qualquer coisa que você estude, chega um momento em que o mercado pede que esse profissional “se vire” ou mesmo a pessoa começa a sentir vontade de empreender. Por isso é importante o conhecimento de ferramentas que possam ajudar nesse processo. 

Como surgiu a ideia de escrever o “Empreendedores Esquecidos”? 
Muitas vezes as pessoas querem abrir uma empresa, mas ninguém sabe direito o que quer ou mesmo como abrir uma empresa, por isso o empreendedorismo para esses profissionais precisa de um espaço. E é possível comprovar que há sim demanda por esse material, uma vez que a publicação está entre as mais vendidas em algumas livrarias. Ele ensina a pessoa a olhar o mercado e analisar se ele está na posição que poderia estar. 

Quais dicas de empreendimento você dá para esses profissionais? 
Tudo é feito com a finalidade de treinar-se. É como a pessoa que está fora de forma e quer correr uma maratona. Isso não vai acontecer de um dia para o outro. É preciso ter calma e paciência. Por exemplo, você não vai acordar um dia querendo ser maior que a Apple e achar que vai conseguir fazer isso de um dia para o outro. É preciso estudar mercado, tecnologia, investimento e assim por diante. 
Você tem que focar no seu objetivo, ter calma e correr atrás dele. Nem todos serão ricos e poderosos, mas você terá sim seu ganho e será bom no que você se propôs a fazer. Isso tanto para empreendedorismo quanto para criatividade, porque você pode até não se tornar um super atleta ou um Bill Gates da vida, mas estará fazendo o que você quer e ao mesmo estará ganhando. 

Há falta de investimento? Por que, em sua opinião, isso acontece? 
Acho que no âmbito do empreendedorismo e da criatividade há uma falha na literatura. Esses empreendedores não recebem muita ajuda. Talvez seja uma coisa cultural, eu não sei direito qual é o problema. 
O fato é que as pessoas esquecem que a criatividade é uma habilidade que pode ser treinada com um conjunto de ferramentas certas. É como o hábito de cuidar do corpo e da saúde, as pessoas estão aos poucos criando o hábito e a cultura de ir na academia. E eu espero que elas comecem a entender que com empreendedorismo e criatividade é tão importante quanto. 

Muitos falam que empreendedor não é uma simples denominação, mas sim uma característica. Concorda com isso? 
Acho que todos têm um ponto positivo e que pode ser melhorado. É como se fosse fazer um boletim, você tira uma nota melhor em matemática do que em português, o que você faz? Estuda mais português. Só que o ideal no mercado de trabalho é você desenvolver o aspecto em que você apresenta mais facilidade e resultados. 
É claro que não podemos deixar as bases de lado, é preciso valorizar o que cada um tem de melhor.

FONTE:ticketegestao.com.br
Curta o Emprego-youcan no Facebook Facebook Emprego You Can