Profissões Promissoras


Profissões Promissoras

10 profissões promissoras para 2014!


1. Engenheiro civil
Com eleições estaduais e federais no calendário, a expectativa da Michael Page é que as obras de infraestrutura decolem. Para Rafael Souto, CEO da Produtive, os eventos esportivos também podem puxar a demanda.
O que faz: Está presente em todo o processo da construção: projeta, gerencia e executa obras de infraestrutura.
Perfil: Formação em engenharia civil, pós-graduações e especializações na área são um diferencial.

2. Intérprete de conferência
“A demanda por intérpretes deve atingir o pico em 2014, por causa da Copa do Mundo e eventos paralelos”, diz Maria Eugênia Farré, vice-presidente da APIC (Associação Profissional de Intérpretes de Conferência).
O que faz: Responsável pela tradução simultânea em eventos, reuniões e teleconferências. Também pode fazer interpretação de campo, ou seja, acompanhar missões diplomáticas e delegações.
Perfil: Além da graduação em Letras e fluência em duas ou mais línguas, é preciso ter cursos de interpretação de conferências (existem modalidades de graduação ou pós nas PUCs de São Paulo e Rio de Janeiro, na Universidade Gama Filho e curso de 2 anos da Associação Alumni). Capacidade de trabalhar sob pressão, boa voz, boa memória e alto poder de concentração também são requisitos, segundo Maria Eugênia.

3. Gestor de projetos
A capacidade de organização dos profissionais especializados em projetos é demanda de empresas de todos os setores, segundo Maria Beatriz Henning da Exceed.
O que faz: Responsável pela gestão do projeto no nível macro. “Decide quais as áreas envolvidas, estabelece o cronograma de ação, faz a apresentação e o acompanhamento, além de estabelecer as implementações necessárias”, segundo Fábio Saad, gerente sênior da divisão financeira da Robert Half.
Perfil: Além das certificações da área, formações em exatas são as mais indicadas, mas não é obrigatório.

4. Gerente contábil e/ou fiscal
A área contábil é vista como carro chefe da área de finanças e a busca por maior controle por parte das empresas tem puxado a demanda, de acordo com Fábio Saad, da Robert Half.
O que faz: É responsável pela contabilidade da empresa, ativos, passivos, balanço e tributação.
Perfil: Formação em ciências contábeis. O profissional deve ter inscrição no CRC (Conselho Regional de Contabilidade), além de domínio da língua inglesa.

5. Consultor tributário
“Em momentos de dívida ou crise, as empresas buscam alternativas fiscais para reduzir custos tributários e ter ganhos”, diz Fábio Salomon da consultoria Salomon & Azzi.
O que faz: Em linhas gerais, trabalha com o planejamento tributário da companhia.
Perfil: Tende a ter uma formação mista em direito e contabilidade. Nas empresas, a área, geralmente, está ligada ao setor financeiro. Nos escritórios, os profissionais tendem a ter primeiro a formação na área jurídica e, depois, a contábil.

6. Advogado especializado em direito público e regulatório
O aquecimento do setor de petróleo e gás, além de infraestrutura, devem abrir novas frentes no setor. Destaque para o estado de Rio de Janeiro, segundo informações de Bernardo Leite, sócio da Salomon & Azzi no Rio.
O que faz: Faz o meio de campo entre as empresas e a esfera pública. Atua nos processos de licitações, parcerias público privada e até no chamado “lobby do bem”.
Perfil: Além do bacharel em direito, é preciso ter uma formação acadêmica muito forte na área pública e regulatória. Além de um forte relacionamento com os governos.

7. Analista de segurança da informação
A combinação da necessidade de integrar sistemas com a proliferação da computação em nuvem demanda estratégias de segurança da informação mais complexas.
O que faz: “Ele deve conhecer todos os detalhes do sistema. É ele quem define quem sai, quem entra e com o que entra, por exemplo”, diz André Assef, da Desix.
Perfil: Formação em cursos ligados à área de TI.

8. Profissional de TI especializado em plataforma de e-commerce
O comércio eletrônico é um setor em expansão no Brasil, segundo Juliano Ballarotii, da Hays.
O que faz: Projeta e desenvolve as plataformas para comércio eletrônico.
Perfil: Formação em tecnologia da informação e áreas correlatas

9. Gerentes/diretores vendas para área de e-commerce
Também por conta da expansão do setor de comércio eletrônico.
O que faz: Ele percebe as necessidades e tendências de consumo para tomar as decisões a respeito do tipo de produto oferecido.
Perfil: A experiência e o perfil do profissional contam mais do que a área de formação acadêmica, segundo Juliano Ballarotti, diretor da Hays.

10. Especialista de marketing com ênfase em redes sociais e e-commerce (comércio)
“Muitas empresas estão migrando as verbas publicitárias para as mídias online e adotando estratégias agressivas para posicionar suas marcas no ambiente virtual”, diz Rafael Souto, CEO da Produtive.
O que faz: Responsável por administrar a marca no mundo virtual, lançando campanhas de marketing, gerindo a imagem da organização nas novas mídias e implementando ações de vendas eletrônicas.
Perfil: Formação em marketing, jornalismo, publicidade e propaganda, administração com ênfase em marketing e áreas correlatas. Experiência na área de comunicação/marketing e mídias digitais.

FONTE:Exame
Curta o Emprego-youcan no Facebook Facebook Emprego You Can