Que tipo de líderes será que somos?


Que tipo de líderes será que somos?

Quem é Marcus Buckingham - Hoje consultor, Marcus Buckingham passou 20 anos no Gallup estudando comportamento de executivos. Tem cinco livros publicados no Brasil, entre eles Descubra Seus Pontos Fortes (Ed. Sextante), de 2001.



Em 20 anos de pesquisa no instituto Gallup, o cientista político americano Marcus Buckingham entrevistou mais de 257 000 executivos de sucesso e mapeou suas habilidades, reunindo-os em um dos principais bancos de dados sobre comportamento profissional existente no mundo. Em 1999, Marcus tornou públicos seus estudos pela primeira vez, no livro Descubra Seus Pontos Fortes (Ed. Sextante). A obra marcou época ao contradizer a ideia geral vigente, de que os profissionais deveriam concentrar-se na reparação de pontos fracos para ter bom desempenho, e fez de Marcus uma fonte consagrada no assunto.


Agora, ele volta com novo projeto, um livro casado com um teste de avaliação do tipo assessment, chamado StandOut (em português, "destaque-se"), que está previsto para ser lançado em maio de 2012 no Brasil pela Editora Sextante. A obra é voltada para líderes que desejam investir em seu potencial e acelerar o desempenho da equipe. "há muitos perfis de liderança, tentamos destacar qual é o jeito de cada um", explica Marcus. Mesmo batendo na tecla dos pontos fortes há dez anos, ele segue lutando contra o hábito do mundo corporativo de olhar para os gaps dos funcionários e tentar corrigi-los — o certo seria investir profundamente nas competências de cada um.




Segundo Marcus, a insistência em melhorar as fraquezas é consequência do ensino nas escolas tradicionais, que incentivam o aluno a se sair bem em todas as disciplinas. "Mesmo que o estudante tenha uma série de notas A, ele continua se preocupando em melhorar nas matérias cujas notas foram F", disse Marcus à VOcÊ S/A. Essa preocupação excessiva com as fraquezas não ajuda o profissional a atingir um alto desempenho. Alguns diretores de Rh concordam com a teoria de Marcus. "cuidar de melhorar pontos fracos é como dirigir olhando para o retrovisor", diz Antonio Salvador, vice-presidente de recursos humanos da hP no Brasil, que considera um desperdício de tempo o esforço de corrigir fraquezas.

"A eficiência da gestão de talentos depende de direcionar o talento certo para o lugar certo, na hora certa." A ideia do livro é fazer com que os profissionais conheçam suas habilidades naturais para melhorar seu desempenho.



O assessment avalia o gestor em nove pontos e então revela quais são os dois mais fortes. Em sua pesquisa, o autor identificou nove diferentes perfis de líderes (veja quadro na pág. ao lado). na edição americana, que custa 12,78 dólares na Amazon, o livro traz uma senha de acesso ao teste online (em inglês).


Segundo Marcus, não existe um perfil certo de líder: cada pessoa tem aptidão para determinada tarefa, o desafio é colocar a pessoa certa no lugar certo e dar liberdade para que ela faça as coisas da sua maneira. "Os melhores gerentes são capazes de identificar em alguém um lampejo de talento e, então, reposicionar essa pessoa de modo que ela possa utilizá-lo de maneira mais efetiva", afirma Marcus Buckingham.

*Aproveite! Siga o Ser Universitário no Twitter e no Facebook

FONTE:Blog do Ser Universitário
Curta o Emprego-youcan no Facebook Facebook Emprego You Can